quarta-feira, Setembro 26, 2007

Isn't life a bowl of cherries?

Os saltos altos ficarão em repouso durante algum tempo.
Os meus pés pedem descanso, não os posso ignorar.



Voltarei.
Quando as cerejas estiverem maduras.

Isn’t life a bowl of cherries?

Highzinha a descalçar os sapatos, a deitar-se no sofá e a contar até três

domingo, Setembro 23, 2007

Saudades?

"A doutora caiu pró lado com uma overdose?
É que de repente vi-me com saudades suas."
mafioso

Caríssimo, mafioso:

Primeiros: não caio pró lado com facilidade

Segundos: overdose de cerejas?

Terceiros: veja lá como se vê[m], a língua portuguesa é traiçoeira pra caraças!

Quartos (e últimos): Saudades? Fado-se! Não seja por isso.
Entrai, entrai. Vou ali à procura de mais pérolas para vos embalar e nos entretantos pode ser que tropece em mais algum cromo para a colecção.


Highzinha a polir saudades
Espreite aqui!

sábado, Setembro 15, 2007

Afasta-te de mim e deixa-te estar, ó cromo!

Quando for grande quero ser como o psicólogo Eduardo Sá.

Quero ter aquela voz sensual de seminarista, o sorriso cativante de rato de sacristia e mais e sobretudo aquelas ideias brilhantes que o dótour psicólogo clínico já nos fez o favor de deixar publicadas para que, eu que o adoro, as absorva todinhas!

Afasta-te de mim e deixa-te estar, ó cromo!

Highzinha a tomar comprimidos anti-cromos
Espreite aqui!

domingo, Setembro 09, 2007

Está tudo a ficar louco, os deuses também?!?

Vou ali sentar-me um pouco no sofá, desta feita, para ouvir uns 530 “de que(s)” [agora não há gato sapato que não use um “de que” no início, meio ou final de frase] e ver os episódios seguintes da novela que tem vindo a passar em todos os noticiários.

E porquê, dótoura, perguntar-me-ão os meus ilustres pacientes(e)leitores. Porque sou masoquista. Ouvir e observar certas coisas reiteram a fé que tenho nas pessoas. Sobretudo nas ditas cultas, sérias e boazinhas.

Continuo na minha:
mais vale uma hora por dia de terapia de trazer por casa aqui da Highzinha que o sofá do charmoso Dr.Prozac.

Está tudo a ficar louco, os deuses também?!?


Highzinha a fazer uma chamada para o Olimpo
Espreite aqui!

sábado, Setembro 08, 2007

Uns são tarados outros não batem bem dos saltos!

— Dótoura, ou o problema sou eu ou então todos os médicos que consulto são tarados!
(ai o diabo!) Minha cara, Ronca Maria, o problema com toda a certeza reside em si. Mas explique-se melhor.
— Se me queixo do pé, insistem em ver a perna. Se me queixo dum braço, sobem por ali acima...
— Chega, Ronca Maria, já percebi. Tem a certeza que não anda a ler muitos jornais?
— Ó dótoura, não brinque comigo. Tenho lá tempo para isso.
— Ah, pois. Mas escreve entre uma ronca e outra, não?!
— Como?
— Esqueça. Uns são tarados outros não batem bem dos saltos!

Highzinha a arrancar mais uma página do pasquim
Espreite aqui!

Life is just a bowl of cherries

Graças a Deus

...há gente muito séria, muito culta, muito boazinha, muito transparente e muito muito de muita coisa para descomprimir de momentos embirrentos.(ver abaixo!)

...há gente muito kiduxa, muito muito de beijos fofos e corações com muito amor para dar que me servem de estímulo para voltar para a minha formação, porque apesar de tudo e acima de tudo eu Amo (com um A bem grande!) uma birra e um amuo.

[e depois há gente assim como a Highzinha que parece não ter mesmo mais nada que fazer; ela é terapias, ela é conselhos, ela é recados... Numa palavra. Generosa. Ou melhor, duas, Generosa e Querida!]

Life is just a bowl of cherries, por isso, meus queridos, don't take it serious, so live and laugh, laugh and love, live and laugh at it all!

Highzinha a atirar-se pró sofá (chão? Nah!) a espernear que nem uma barata tonta

quinta-feira, Setembro 06, 2007

Momento embirrento

... para descomprimir.

Ah, que coisa mai linda. Como eu gosto de gente amuada e de beicinho a bater com o pezinho para conseguirem um pouco de atenção.

Caramba, vamos lá à parte comprovada cientificamente aqui pela Highzinha:

≥ É altamente prejudicial contrariar uma birra;
≥ As pessoas amuadas são queridas (oh, pá!);
≥ Os amuos são momentos dignos de registo (a posteridade agradece!);
≥ Quando for grande e usar saltos de 12cm quero amuar, no mínimo, 3 vezes por dia;
≥ Amuar e fazer birras dá saúde e faz crescer (a embirração dos outros!);
≥ Comecei formação agorinha mesmo, vou tornar-me uma expert ( e já me sinto muito mais saudável!).


Highzinha a atirar-se pró chão, a afinar as cordas vocais com gritos histéricos e a ensaiar umas trombas maiores que as da Miss Piggy

segunda-feira, Setembro 03, 2007

Notícia de jornal

(clicar na imagem para ampliar)

Ah grande Ronca Maria.
Quem escreve assim deve usar saltos altos!

terça-feira, Agosto 28, 2007

Quem ressona mais alto?

— Ai que não estou a perceber nada. A dótoura tem uma forma esquisita de falar.
— O Bilhas diz o mesmo, vá-se lá perceber porquê. Sou clara como água e a minha amiga que é feliz diz que afinal e bem vistas as coisas sou normalzinha da silva.
— Cada vez entendo menos. A dótoura fala que língua?
— Depende. Língua afiada, viperina e tem dias que erudita. Naqueles em que me dá a mania que até tirei licenciatura em universidade (in)dependente.
— Pois...E depois não percebo nada. Já nem sei se esta terapia me faz bem ou mal.
— Olhe já somos duas mas não vale a pena esmorecer.
— Em que é que ficamos?
— Não ficamos. Tenho lá fora cliente para a hipnose.
— Vai ficar a dormir?
— Espero bem que não porque o homem ressona mais alto que a ronca da Barra.
— Volto pra semana?
— Volte, volte, pra semana há concurso e prémios!
— Boa! Qual?
Quem ressona mais alto? O que ganhar habilita-se a uma terapia num sofá bem longe daqui!
...
Highzinha a delinear regulamento para o concurso

segunda-feira, Agosto 27, 2007

Borboleta

— Olhe, dótoura, tenho um blog!
— Parabéns. Leve os saltos!
— Que raio, pra quê?
— Para pendurar lá.
— Nem pense, dótoura, o meu blog é muito sério. Muito introspectivo, está a ver, que eu não sou como umas e outras que se põem a inventar coisas.
— Ah, não me diga. Fala de quê?
— De mim, claro, e da minha vida, alguma coisa mais interessa?
— Pois, agora assim de repente também não me ocorre mais nada. E o que a traz aqui?
— Preciso de conversar, dótoura.
— Sobre quê, posso saber?
— Sobre mim.
— Não lhe chega o blog?
— É virtual.
— A sua vida?
— Não, o que lá escrevo.
— Mas não é sobre as suas vivências?
— Sim, de certo modo.
— Mau. Em que é que ficamos?
— Sabe, às vezes invento um bocadinho só para tornar a coisa mais interessante e verosímil, percebe?
— Claro. Mas tudo com muita honestidade.
— Nem mais. É um blog muito sério. Não sou como umas e outras que se acham muito engraçadinhas.
— Pois...
— E depois o blog é meu, dótoura. Escrevo lá o que me apetecer.
— Ah, claro. Olhe, Borboleta, pare de mexer as asas que se me arrepiam as pestanas.
— Gosta das minhas cores?
— São lindas.
— Também acho, são as cores do meu blog e Butterfly é o meu nickname.
— Caríssima, vamos ao que interessa. Fale-me de si.
— Ainda não fiz outra coisa, dótoura, o blog é a minha vida!

...


Highzinha a juntar paciennnntemente mais uma pérola à sua colecção de cromos
Espreite aqui!

sexta-feira, Agosto 24, 2007

Where’s my red nail polish?

— Ora diga lá, querida, a que devo a honra?
(silêncio)

— E o caríssimo, que mal lhe pergunte, padece de alguma coisinha?
(silêncio)

— E a menina aí, o gato também lhe comeu a língua?
(silêncio)

Ai c’uns diabos! Isto (re)começa bem. Invadem-me o consultório, instalam-se no sofá e ficam para aqui a olhar para mim com olhos de carneiro mal morto e mal cheiroso.

Assim c’uma assim vou pintar as unhas.
Where’s my red nail polish?

Pronto, assunto arrumado. Assim que lhes falo em estrangêro dão logo à sola.

Ora deixem cá ver onde pus o número daquela clínica além mar. É desta que tiro curso de hipnose* pelo telefone:
Dr.ª High Heels Hipnoterapeuta para todas as questões de salto alto, efusiva, volátil e sem aftas na língua.”
Hum, falta ainda qualquer coisita. Vou acrescentar “brilhante”! Yeah! That’s me!

...

Highzinha de volta do currículo, a pintar as unhas dos pés e a fazer a primeira sessão de hipnose às piranhas do aquário (chiça! Que azáfama!)
* Se acharem a música demasiado agitada para o estado de hipnose que se impõe, avisem sim? Ai que sono! Oxalá não ressone e não conte a minha vidinha toda desde pequenina. Seria uma escandaleira!

Ai, sinhores, que raio se passa aqui?

Ai, sinhores, ainda mal pusera o salto na ombreira da porta do consultório e já tinha sido atacada por um mar de gente proveniente do Sapo Mulher.

Alguém é capaz de me explicar o que se passa? Querem lá ver que lhes foi prometido chicalates e outros doces gulosos? Desenganem-se, daqui só levam com terapia de trazer por casa.

Vou pôr a arejar o sofá e volto dentro de momentos. Tirem ticket, please, enquanto converso com o James Blog e tento descodificar esta charada.


Highzinha em mais uma missão (im)possível

sexta-feira, Agosto 03, 2007

A minha amiga é feliz

"Dr.ª High Heels, a minha amiga é feliz! Isto não é estranho?"

Pergunta escrita em papel amarelecido e trazido no bico duma cegonha que em voo arrasante me foi deixada. Mais uma missão (im)possível.
Assim que apanhei o James blog entretido com uma loira insuflada, (re)virei o papel, cheirei-o, (des)codifiquei a mensagem e telefonei à Maria Telefonista.

– Tef Maria, escreva aí antes que se faça tarde e que perca a inspiração.
– Hã? Interrompe-me assim a ligação sem mais nem pra quê? Aquele telefone custa a ligar!
– Deixe-se de tretas Tef Maria. Deixe a ligação para depois e aguente-se à bronca!
[Fado-se! Esta nem com o James blog em missão impossível no Mar das Caraíbas me deixa em paz!]
– Pense baixo, Tef Maria e não seja vulgar! Comece a dar aos dedinhos e escreva assim:

Caríssimo(a) anónimo(a)

A sua amiga é feliz.
Essa afirmação carece de comprovação científica.
É feliz, porquê?
Ri-se muito? Se for esse o caso, não se iluda, as cócegas também produzem esse efeito.
É estranho?
Claro que é. Onde raio já se viu uma amiga feliz, hein? As amigas são tristes, deprimidas e ficam horas penduradas ao telefone a carpir mágoas ou a contar tim-tim por tim-tim as maldades que fizeram ao vizinho(amigo, namorado, marido, amante what ever!). Mas felizes não são. Impossível como esta missão!

Para mais esclarecimentos é só mandar nova missiva pela gaivota que passa às 13h porque antes disso encontro-me a praticar yoga.

...



Highzinha a despachar mais um caso (im)possível

quinta-feira, Julho 26, 2007

The spy who loved me

From the Caribbean cruise with love que é como quem diz daqui ninguém me arranca nem com bombardeios de camarões mergulhados em lots of piri-piri, nem ameaças de missões com códigos esquisitos.
James blog entra em acção com jogos de palavras de trazer por casa e entre um vodka-martini e um mergulho no oceano Atlântico, ponho a terapia em dia.

Está tudo doido, grande novidade, mas agora assim de repentemente só me apetecem missões impossíveis, we only live twice after all e uma eu já vivi e os saltos não foram suficientemente altos.

- James, dear, prepara o helicóptero, the sofa is not enough!
- Darling you’re the best!
- I know, I know, é do brilho dos meus saltos, mas despacha-te que avisto lá longe bateira cheia de (im)pacientes(e)leitores com psicoses e manias munidos de enchidos da Quinta do Bastardo!
- Ó diabo, que raio é uma bateira?
- Esquece, James Blog, dá à manivela!
- Manivela? Ó cun’s diabos, não vim preparado para este código.
- Live and let die but die another day!
- Qual é o nome desta missão impossível?
- The spy who loved me que é como quem diz mais vale um espião de quinta categoria que espião nenhum!

Nota: Este post encontra-se em código and it's very very dangerous.
Após a sua leitura ele se auto-destruirá!


...



Highzinha with a licence to kill (bang bang!!!)

terça-feira, Julho 24, 2007

Missão impossível

Coisas estranhas que me têm vindo a acontecer nestes últimos dias desde que dei entrada neste cruzeiro no mar das Caraíbas!
A música não pára de tocar e sempre a mesma para mal dos meus pecados que embora sejam poucos que sou dótoura casta, o descanso não tem sido nenhum com as entradas de voyeurs, de bilhas, kamis e afins, aperitivos de quinta categoria e digestivos que me têm deixado um sabor amargo de “quero-ver-me-a-milhas-daqui”!

Como as desgraças vêm sempre acompanhadas das primas e enteadas, fui informada de missão suicida de resgate que versa assim:
Nome de código da missão: "igip igip otium moc oãgamac ed ligac".

Missão impossível, meu caro! Não há camagões, nem pigipigi que me salvem!

At last, missiva chegou-me através dos tentáculos dum polvo, que entre uma trinca e uma esguichadela, perguntava-me assim:

- Estás mais envolvida com o sarcasmo ou com a gentileza na tua escrita na internet?
Querido, que ciumento que és! Deixa lá o Sarcasmo que até ficou em terra que da Gentileza não reza esta história.
- Acreditas que os teus ideais políticos te definem?
Hoje não me apetece falar do tempo atmosférico.
- Qual é o elemento essencial de uma relação?
Ralação, querido, e muita!
- É difícil levantares-te de manhã?
Muito mais difícil levantar-me neste momento se não tirares os tentáculos de cima de mim, dear!
- Qual a última coisa mais bonita que viste?
Um delphinus delphis que assim que me viu deu um salto de cinco metros e mergulhou a grande profundidade.
- Por que sou tão medricas quando vou ao médico? E tenho tanto medo do amanhã?
Porque ainda não tinhas conhecido a Highzinha Maria!
- Se pudesses conhecer alguém que não conheces quem seria?
Um cavalo-marinho!
- É fácil gostar-se de ti?
Amor à primeira vista, always!

Hoje não haverá polvo para o jantar, fiquei enjoada.
Está na hora de contratar o James Blog, a situação está periclitante!
...
Highzinha de gold finger em riste

quarta-feira, Julho 18, 2007

Grande chouriço!

- Hello, Dr.ª High Heels speaking.
- Olhe, dótoura, desculpe lá mas não falo estrangêro.
- Paciência, arranhemos antes outra coisa.
- Ai, dótoura, como assim? Continuo sem perceber nadinha...
- Diga coisas, Maria Telefonista, que o navio-cruzeiro está quase a partir e tarda nada perco rede.
- Vai à pesca, dótoura?
- Gambozinos!
- São comestíveis?
- À falta de melhor...
- Fritos?
- Não venho aqui para alimentar o colesterol!
- Castrol? Para o navio?
- Ai o caraças da mulher! Tem tomado os comprimidos? Afinal a que devo a honra?
- O Sapo mulher faz referência ao seu consultório!
- Olhe, grande chouriço!
- Já está nos aperitivos, dótoura?
- E tarda nada salto já para os digestivos também. Palpita-me que vou ficar sem bateria.
- Dótouuuuuuura!
- The number you’ve just dial is not available…
- Ai o caraças da mulher que tem a mania de falar em estrangêro. Arrogante e convencida! Agora desde que anda com aqueles sapatos florejantes subiu-lhe a fluorescência à cabeça. Devia nascer-lhe um cacto no nariz!


Highzinha de volta dos enchidos

segunda-feira, Julho 16, 2007

Con gusto y emoción

“Este blogue manda um cheiro a enxofre indisfarçado de rosas e eu que tenho a barriga a dar horas e esta cabeça cheia de comichão acho que entendo todo o vosso palavreado sobre estratégia de xadrez apesar de ser apenas um perito no burro em pé e nas restantes posições do kamasutra. A bisca lambida também se aconselha embora seja um pouco mais trabalhosa, mas vem mesmo a calhar para esta valsa erudita que está a tocar ali atrás.Quanto a desporto não percebo nada das regras porque passam a vida a mandar-me a Dótoures loucos que só me receitam colírio cerebral quando eu precisava mesmo era de uma consultora de saltos altos perita em gestão de recursos efectivamente abrasivos e outras ternuras que tais.Posso registar-me neste consultório como eleitor permanente?” Delirius Insanus

Olhe, caríssimo, não quer explicar-se assim a modos que um bocadito melhor? Traduzir para uma outra língua mais perceptível aqui para a Highzinha? Sei lá, Cantonês! Ah, ok, combinado, então! Volte sempre mas traga o cartão de (e)leitor!


Para que conste, esta semana estou de férias mas dótoura dedicada que sou, não viro costas aos meus queridos pacientes(e)leitores. Mas não há cá xadrez, nem kamasutra, burro em pé e muito menos bisca lambida! Falemos do colírio cerebral que é um tema interessante e sempre actual! Ou de saltos e cambalhotas e outras coisas que tais! Estarei a ser suficientemente clara ou ainda vos resta alguma dúvida? Pois, bem me queria parecer. Dancemos, então, con gusto y emoción!

Highzinha a pôr as cartas na mesa

terça-feira, Julho 10, 2007

Smelly and sexy

Já não recordo quando me bateu à porta. A memória já não é o que era e não tenho tomado os comprimidos. Teria que desarrumar as gavetas até encontrar o seu primeiro comentário. Foram muitos, efusivos, brincalhões e carregadinhos de um sentido de humor invulgar. (aliás, sou uma dótoura de sorte, os meus pacientes são todos do melhor que há!)

Retomando a verborreia, lancei pedido de socorro na última caixinha de terapia. Pretendia pintura nova para este consultório e os meus conhecimentos sobre tintas é limitado. Teria sido mais prática se lhe pedisse directamente porque a reacção teria sido idêntica: resposta pronta, amiga e eficaz.

O meu novo header que é como quem diz, o cabeçalho aqui do tasco, é da autoria do meu amigo blogueiro, Voyeur de Blogs. Olhe caríssimo, na altura das lamechices eu sou do pior que há, atiro pra canto, faço trapalhada, digo disparate, não vá a coisa ficar piegas e pegajosa.
Thank you very much, my friend, traduzindo, estou tão smelly and sexy que nem caibo nos sapatos! Já sabe, consultas para mais doze meses.
My Psychiatry Psychology Therapy Office offers psychiatric services and provides multidisciplinary practices for patient care que é como quem diz, muito paleio e poucas aftas!

Highzinha smelly and sexy as ever

domingo, Julho 08, 2007

É loucura, é fado!

Os meus doutos conselhos são apreciados por individualidades dos quatro cantos do mundo: o canto do meu consultório, o canto do meu rouxinol, o meu doce e afinado canto e o pontapé de canto que não tarda estou a marcar para gáudio dos meus ricos sapatos que dão saltos de contentamento por voltarem às lides terapêutica-bloguistas e logo logo viram os quatro maravilhosos cantos do mundo!

Este consultório completou um ano de actividade no passado dia 6, sexta-feira, e eu ocupada com outros cantos, desta feita os da fadista Mariza, perdi o norte, o que raramente acontece porque sou criatura com bússola incorporada, mas acordei a pensar que apesar da ventania que se faz sentir talvez não fosse má ideia abrir as janelas cá do sítio e brindar os meus pacientes-leitores com a minha douta prosa e sabedoria.

A Mariza canta e encanta quase tão bem como eu. Desculpa lá, querida, os devaneios daquela gente da tua terra a gritar “high high zinha zinha” quando me viram e já agora pardon aussi, os franceses adoram-me que queres deve ser do meu perfume, “c’est sublime, superbe” diziam eles extasiados. Produzo este efeito sobre as pessoas. É loucura, é fado!

Et voilá! Je suis ici que é como quem diz, apeteceu-me, levem lá comigo e retribuam com a mesma generosidade.

Highzinha a cantar de galo

sábado, Junho 16, 2007

Ocasionalmente, a rumba

Ena, ena, venha de lá a rumba que isto promete!

Aberto o correio deparei-me com missiva assim:

“Dear saltosaltos, it was a pleasure to browse your blog. You have very expressive and interesting writings on your blog, and I wish you all the best in your further blogging. (eu sou boa, caramba!)

Our store is selling adult toys and gifts, DVDs, erotic books, and lingerie… (
e sapatinhos de salto alto, hein?!?)

We would like to establish a relationship with your site for better serve our and your visitors. This can contain simple link exchange, and I hope our customers will appreciate if we can give them a note about such quality resource. We will also appreciate a link from your blog to our site…” ( e patati patata)


Fiquei irritada, claro está.Isto é um consultório sério e eu sou uma gajinha pudica.

Nada de toys e erotic books, à cabeceira para além da Bíblia só mesmo o Diagnostic Manual of Mental Disorders, na língua dos camones que eu cá sou uma dótoura internacional.
Agora vou ali pôr a leitura em dia, ajoelhar-me e agradecer a todos os santinhos este dom natural. (eu sou boa, caramba!)


Façamos de conta que está um sol de arrasar, que adoramos a rumba e que até sabemos dançar.

Quem é o(a) primeiro(a) que inicia a dança das palavras?


Highzinha